Lisboa pode perder mais de mil milhões de dólares

Estudo revelado na apresentação da MDS como broker do Lloyd’s estima que a cidade de Lisboa tenha uma perda potencial na produção de riqueza superior a mil milhões de dólares devido aos riscos que enfrenta.

Fleed

auto auto

 

A MDS, multinacional de origem portuguesa líder na corretagem de seguros e consultoria de riscos, acaba de apresentar o seu estatuto de broker do Lloyd’s, o maior mercado mundial de seguros e resseguro especializados, numa iniciativa realizada em Lisboa. A MDS é o único broker de todos os países de expressão portuguesa a poder exercer atividade diretamente junto do mais importante mercado de seguro e resseguro do mundo, em Londres.

Este registo histórico para o sector financeiro português abre novas perspetivas para as empresas e economia nacional na proteção contra os riscos a que estão expostas. O estatuto de broker do Lloyd’s permite à MDS o acesso direto a um dos mais importantes mercados de seguro e resseguro do mundo, que reúne um conjunto único de subscritores de risco altamente especializados, sustentado por um rating financeiro sólido e licença para operar a nível internacional em mais de 200 países. O Lloyd’s é hoje o grande centro mundial para seguros e resseguros especializados, sendo o mercado de eleição para a gestão de riscos emergentes, pouco conhecidos e complexos.

 

Risco da cidade de Lisboa potenciado por crash dos mercados financeiros

Durante o evento de apresentação da MDS como Lloyd’s broker, realizado em Lisboa, foram partilhadas as conclusões do estudo sobre o risco das cidades, desenvolvido em parceria com a Universidade de Cambridge, que analisou o impacto de 22 riscos sobre o PIB em 279 das cidades mais importantes do mundo, que juntas geram 41% da produção económica global.

De acordo com a análise, a cidade de Lisboa tem uma perda potencial na produção de riqueza superior a mil milhões de dólares, sendo a mais revelante a perda potencial com um crash dos mercados financeiros, cujo valor pode atingir os 550 milhões de dólares. Entre os cinco principais riscos que afetam a cidade de Lisboa, embora numa escala bem inferior, estão também as inundações, os ataques cibernéticos, as pandemias humanas e um choque nos preços das matérias-primas.

O estudo salienta também o risco de terramoto que, embora seja considerado baixo, a concretizar-se e num cenário extremo poderia mesmo implicar custos de 43,79 mil milhões de dólares.

 

Perdas potenciais de produção de riqueza a nível mundial ascendem a 546,5 mil milhões de dólares

O estudo divulgado revela que as perdas potenciais de produção de riqueza a nível mundial ascendem a 546,5 mil milhões de dólares, no conjunto das cidades analisadas. As ameaças pela mão do homem representam 59% de todo do risco, sendo as ameaças naturais responsáveis por 41% das perdas potenciais. O crash do mercado é a maior ameaça, representando 103,3 mil milhões de dólares, sendo também de salientar que os riscos relacionados com o clima representam, em conjunto, 123 mil milhões de dólares.

A maior parte do risco está concentrada em poucas cidades, já que apenas 10 cidades representam quase um quarto do montante apurado. Tóquio tem a maior perda potencial de produção de riqueza, estimada em 24,3 mil milhões de dólares.

Segundo o estudo, denominado Lloyd’s City Risk Index, uma maior resiliência pode impedir perdas de 73,4 mil milhões de dólares nas cidades. Embora nenhuma cidade possa ser completamente livre de risco, o índice mostra que uma gestão de riscos ativa pode minimizar o efeito sobre o PIB, sendo importante tomar medidas preventivas de mitigação de risco.

O estudo revela também que os seguros são parte da solução, pois permitem a injeção de capital após um evento catastrófico. Face aos riscos identificados, as seguradoras e os corretores devem investir no desenvolvimento de novos produtos, de forma a responder às necessidades das cidades, nomeadamente dos seus habitantes e do seu tecido económico e empresarial

 

Segurar riscos especializados

A MDS, fundada em 1984, é o corretor de seguros líder em Portugal, o quarto maior broker no Brasil e um player de referência no mercado angolano. A entrada no Lloyd’s vem reforçar o contributo que a MDS tem dado ao sector segurador em termos de profissionalismo, rigor, sofisticação, serviço e sobretudo inovação, através de várias iniciativas pioneiras, tanto em Portugal como no exterior.

A junção de competências das duas instituições permite oferecer em Portugal, e nos países onde a MDS está presente, diretamente ou através da sua participada Brokerslink, soluções cada vez mais inovadoras e adaptadas às necessidades dos clientes. A crescente complexidade dos riscos com que as empresas e economias hoje se deparam, como os riscos climáticos, o cyber risk ou o supply chain, exigem soluções cada vez mais sofisticadas, as quais passam a ser endereçadas no âmbito da parceria estabelecida.

 

MDS com interesses em mais de 10 países

A MDS é um grupo multinacional que atua na área da corretagem de seguro e resseguro e consultoria de risco. É líder de mercado em Portugal, top 5 no Brasil e está presente também em Angola e Espanha. Através da Brokerslink, uma empresa global de corretagem fundada pela MDS em 2004 e sedeada em Zurique, está presente em mais de 100 países, com cerca de 400 escritórios e totalizando cerca de 10.000 profissionais da área dos seguros.

A MDS é também acionista e parceiro de referência da Ed. (ex-Cooper Gay Swett & Crawford), corretor independente no mercado ressegurador londrino.

 

Lloyd’s é o mercado mundial de seguros e resseguros especializados

Com mais de 300 anos de história durante os quais atravessou várias crises mundiais, o Lloyd’s soube sempre sobreviver e reinventar-se, sendo hoje uma referência mundial na sua área. Fruto desta resiliência, o Lloyd’s ocupa a sexta posição no ranking dos maiores grupos resseguradores mundiais e a terceira no ranking dos maiores Grupos Resseguradores mundiais “Não Vida” da A.M. Best, com um volume de prémios totais geridos em 2016 de 29.862 milhões de libras (34.059 milhões de euros).

Com a experiência obtida ao longo de séculos, o Lloyd’s apresenta-se como a base da indústria seguradora e também o seu futuro. Através de subscritores e corredores especialistas em mais de 200 países, o mercado do Lloyd’s desenvolve as coberturas de seguro essenciais, complexas e fundamentais que são necessárias para apoiar o progresso da humanidade.  Suportado por um capital global diverso à escala global e excelentes ratings financeiros, o Lloyd’s trabalha com una rede global de cerca de 4.000 profissionais de seguros, para fazer crescer o mundo segurador, fomentando a resiliência dos negócios e das  comunidades locais e fortalecendo o crescimento económico em todo o mundo. Mais informações em www.lloyds.com

redacao@fleed.pt

 

 

A MDS, multinacional de origem portuguesa líder na corretagem de seguros e consultoria de riscos, acaba de apresentar o seu estatuto de broker do Lloyd’s, o maior mercado mundial de seguros e resseguro especializados, numa iniciativa realizada em Lisboa. A MDS é o único broker de todos os países de expressão portuguesa a poder exercer atividade diretamente junto do mais importante mercado de seguro e resseguro do mundo, em Londres.

Este registo histórico para o sector financeiro português abre novas perspetivas para as empresas e economia nacional na proteção contra os riscos a que estão expostas. O estatuto de broker do Lloyd’s permite à MDS o acesso direto a um dos mais importantes mercados de seguro e resseguro do mundo, que reúne um conjunto único de subscritores de risco altamente especializados, sustentado por um rating financeiro sólido e licença para operar a nível internacional em mais de 200 países. O Lloyd’s é hoje o grande centro mundial para seguros e resseguros especializados, sendo o mercado de eleição para a gestão de riscos emergentes, pouco conhecidos e complexos.

 

Risco da cidade de Lisboa potenciado por crash dos mercados financeiros

Durante o evento de apresentação da MDS como Lloyd’s broker, realizado em Lisboa, foram partilhadas as conclusões do estudo sobre o risco das cidades, desenvolvido em parceria com a Universidade de Cambridge, que analisou o impacto de 22 riscos sobre o PIB em 279 das cidades mais importantes do mundo, que juntas geram 41% da produção económica global.

De acordo com a análise, a cidade de Lisboa tem uma perda potencial na produção de riqueza superior a mil milhões de dólares, sendo a mais revelante a perda potencial com um crash dos mercados financeiros, cujo valor pode atingir os 550 milhões de dólares. Entre os cinco principais riscos que afetam a cidade de Lisboa, embora numa escala bem inferior, estão também as inundações, os ataques cibernéticos, as pandemias humanas e um choque nos preços das matérias-primas.

O estudo salienta também o risco de terramoto que, embora seja considerado baixo, a concretizar-se e num cenário extremo poderia mesmo implicar custos de 43,79 mil milhões de dólares.

 

Perdas potenciais de produção de riqueza a nível mundial ascendem a 546,5 mil milhões de dólares

O estudo divulgado revela que as perdas potenciais de produção de riqueza a nível mundial ascendem a 546,5 mil milhões de dólares, no conjunto das cidades analisadas. As ameaças pela mão do homem representam 59% de todo do risco, sendo as ameaças naturais responsáveis por 41% das perdas potenciais. O crash do mercado é a maior ameaça, representando 103,3 mil milhões de dólares, sendo também de salientar que os riscos relacionados com o clima representam, em conjunto, 123 mil milhões de dólares.

A maior parte do risco está concentrada em poucas cidades, já que apenas 10 cidades representam quase um quarto do montante apurado. Tóquio tem a maior perda potencial de produção de riqueza, estimada em 24,3 mil milhões de dólares.

Segundo o estudo, denominado Lloyd’s City Risk Index, uma maior resiliência pode impedir perdas de 73,4 mil milhões de dólares nas cidades. Embora nenhuma cidade possa ser completamente livre de risco, o índice mostra que uma gestão de riscos ativa pode minimizar o efeito sobre o PIB, sendo importante tomar medidas preventivas de mitigação de risco.

O estudo revela também que os seguros são parte da solução, pois permitem a injeção de capital após um evento catastrófico. Face aos riscos identificados, as seguradoras e os corretores devem investir no desenvolvimento de novos produtos, de forma a responder às necessidades das cidades, nomeadamente dos seus habitantes e do seu tecido económico e empresarial

 

Segurar riscos especializados

A MDS, fundada em 1984, é o corretor de seguros líder em Portugal, o quarto maior broker no Brasil e um player de referência no mercado angolano. A entrada no Lloyd’s vem reforçar o contributo que a MDS tem dado ao sector segurador em termos de profissionalismo, rigor, sofisticação, serviço e sobretudo inovação, através de várias iniciativas pioneiras, tanto em Portugal como no exterior.

A junção de competências das duas instituições permite oferecer em Portugal, e nos países onde a MDS está presente, diretamente ou através da sua participada Brokerslink, soluções cada vez mais inovadoras e adaptadas às necessidades dos clientes. A crescente complexidade dos riscos com que as empresas e economias hoje se deparam, como os riscos climáticos, o cyber risk ou o supply chain, exigem soluções cada vez mais sofisticadas, as quais passam a ser endereçadas no âmbito da parceria estabelecida.

 

MDS com interesses em mais de 10 países

A MDS é um grupo multinacional que atua na área da corretagem de seguro e resseguro e consultoria de risco. É líder de mercado em Portugal, top 5 no Brasil e está presente também em Angola e Espanha. Através da Brokerslink, uma empresa global de corretagem fundada pela MDS em 2004 e sedeada em Zurique, está presente em mais de 100 países, com cerca de 400 escritórios e totalizando cerca de 10.000 profissionais da área dos seguros.

A MDS é também acionista e parceiro de referência da Ed. (ex-Cooper Gay Swett & Crawford), corretor independente no mercado ressegurador londrino.

 

Lloyd’s é o mercado mundial de seguros e resseguros especializados

Com mais de 300 anos de história durante os quais atravessou várias crises mundiais, o Lloyd’s soube sempre sobreviver e reinventar-se, sendo hoje uma referência mundial na sua área. Fruto desta resiliência, o Lloyd’s ocupa a sexta posição no ranking dos maiores grupos resseguradores mundiais e a terceira no ranking dos maiores Grupos Resseguradores mundiais “Não Vida” da A.M. Best, com um volume de prémios totais geridos em 2016 de 29.862 milhões de libras (34.059 milhões de euros).

Com a experiência obtida ao longo de séculos, o Lloyd’s apresenta-se como a base da indústria seguradora e também o seu futuro. Através de subscritores e corredores especialistas em mais de 200 países, o mercado do Lloyd’s desenvolve as coberturas de seguro essenciais, complexas e fundamentais que são necessárias para apoiar o progresso da humanidade.  Suportado por um capital global diverso à escala global e excelentes ratings financeiros, o Lloyd’s trabalha com una rede global de cerca de 4.000 profissionais de seguros, para fazer crescer o mundo segurador, fomentando a resiliência dos negócios e das  comunidades locais e fortalecendo o crescimento económico em todo o mundo. Mais informações em www.lloyds.com

redacao@fleed.pt

 

Mais sobre o tema