“O meu patrocinador é o meu ordenado!” - Entrevista Mary Vieira

Mary Vieira tem de trabalhar para sustentar o vício de correr trail. O seu empenho levou-a novamente à seleção nacional.

Fleed

auto auto

Mary Vieira quer terminar o campeonato do mundo de trail running com o sentimento de que deixou tudo nos trilhos, realçando em entrevista ao Fleed que “não há vencedores antecipados”. A atleta afirma ainda que a modalidade é “muito dispendiosa” e que o seu patrocinador é o seu ordenado.

 

Está prestes a começar o Campeonato do Mundo de Trail, onde tens novamente a oportunidade de participar. Qual a tua ambição para a prova?

A minha ambição é a de todos: dar o nosso melhor e acabarmos com o sentimento que ficou tudo nos trilhos.

 

Quem consideras que são as favoritas a vencer o campeonato do mundo, quer em termos individuais quer em equipas?

Muito honestamente, não sigo muito os atletas estrangeiros, conheço o percurso de poucos. No entanto, é do conhecimento de todos que Espanha e França estão no topo.

 

Portugal, estando a correr em casa, tem uma palavra a dizer?

Claro que sim, e é esse pensamento que temos de levar para a prova. Não há vencedores antecipados!

 

O que seria um bom resultado para a nossa seleção?

Um bom resultado será acabarmos todos com o sentimento que deixámos tudo no trilho e que todas as horas de preparação/dedicação valeram a pena.

 

O facto de estarem a correr em Portugal é, então, uma vantagem?

Claro que sim! O apoio e o carinho durante o percurso vai ser um “combustível” extra. Não acredito que a afluência do público vá ser como no Rali [de Portugal], mas acredito que vai andar perto! []

 

Como foi a tua preparação? Como organizaste o teu treino?

A preparação correu bem, consegui-me organizar. Obviamente que achámos sempre que podíamos ter feito mais, mas o Trail não é a nossa profissão.

 

É possível viver do trail em Portugal?

Desconheço que alguém consiga. No meu caso é completamente impossível. Tenho de trabalhar muito para conseguir sustentar este “vicio”.

É uma modalidade muito dispendiosa! Uma modalidade que tem vindo acompanhar a subida dos combustíveis (risos).

O meu patrocinador, é o meu ordenado! No entanto, não posso deixar de referir o apoio do meu treinador, Hélder Costa, e da minha osteopata, Dr. Liliana Gomes.

 

 

BI

Nome: Marisa Vieira

Idade: 37 anos

Profissão: militar da GNR

Clube: Individual

Patrocinadores principais: Não tenho

Lema de vida: Não tenho um lema de vida, mas há pouco tempo alguém me disse: “O que fica não é o que achas, é o que fazes. Nunca te esqueças, não te condiciones pelo que não dominas, segue o que te faz seres tu...” e eu acho que tenho continuado a seguir ser EU!

 

Mary Vieira quer terminar o campeonato do mundo de trail running com o sentimento de que deixou tudo nos trilhos, realçando em entrevista ao Fleed que “não há vencedores antecipados”. A atleta afirma ainda que a modalidade é “muito dispendiosa” e que o seu patrocinador é o seu ordenado.

 

Está prestes a começar o Campeonato do Mundo de Trail, onde tens novamente a oportunidade de participar. Qual a tua ambição para a prova?

A minha ambição é a de todos: dar o nosso melhor e acabarmos com o sentimento que ficou tudo nos trilhos.

 

Quem consideras que são as favoritas a vencer o campeonato do mundo, quer em termos individuais quer em equipas?

Muito honestamente, não sigo muito os atletas estrangeiros, conheço o percurso de poucos. No entanto, é do conhecimento de todos que Espanha e França estão no topo.

 

Portugal, estando a correr em casa, tem uma palavra a dizer?

Claro que sim, e é esse pensamento que temos de levar para a prova. Não há vencedores antecipados!

 

O que seria um bom resultado para a nossa seleção?

Um bom resultado será acabarmos todos com o sentimento que deixámos tudo no trilho e que todas as horas de preparação/dedicação valeram a pena.

 

O facto de estarem a correr em Portugal é, então, uma vantagem?

Claro que sim! O apoio e o carinho durante o percurso vai ser um “combustível” extra. Não acredito que a afluência do público vá ser como no Rali [de Portugal], mas acredito que vai andar perto! []

 

Como foi a tua preparação? Como organizaste o teu treino?

A preparação correu bem, consegui-me organizar. Obviamente que achámos sempre que podíamos ter feito mais, mas o Trail não é a nossa profissão.

 

É possível viver do trail em Portugal?

Desconheço que alguém consiga. No meu caso é completamente impossível. Tenho de trabalhar muito para conseguir sustentar este “vicio”.

É uma modalidade muito dispendiosa! Uma modalidade que tem vindo acompanhar a subida dos combustíveis (risos).

O meu patrocinador, é o meu ordenado! No entanto, não posso deixar de referir o apoio do meu treinador, Hélder Costa, e da minha osteopata, Dr. Liliana Gomes.

 

 

BI

Nome: Marisa Vieira

Idade: 37 anos

Profissão: militar da GNR

Clube: Individual

Patrocinadores principais: Não tenho

Lema de vida: Não tenho um lema de vida, mas há pouco tempo alguém me disse: “O que fica não é o que achas, é o que fazes. Nunca te esqueças, não te condiciones pelo que não dominas, segue o que te faz seres tu...” e eu acho que tenho continuado a seguir ser EU!

 

Mais sobre o tema