Jerôme Rodrigues e Fernanda Verde vencem Serra Amarela SkyMarathon

Atletas do EDV - Viana Trail triunfaram na prova mais longa, num evento organizado pelo ultramaratonista Carlos Sá que recebeu cerca de mil participantes no Parque Nacional Peneda Gerês.

Fleed

auto auto

 

Numa autêntica manhã de inverno em pleno Junho, cerca de mil participantes partiram da aldeia de Entre Ambos-os-Rios à conquista da Serra Amarela, em pleno coração do Parque Nacional Peneda-Gerês.

Na prova rainha, a SkyMarathon de 48 quilómetros que integrou a Taça de Portugal SKY da Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal, os atletas da EDV-Viana Trail foram os mais fortes. Jérôme Rodrigues completou o percurso em 5h12m16s e conquistou o primeiro lugar, com vantagem de apenas um segundo sobre o segundo classificado, o seu colega de equipa Ricardo Silva. Bruno Ribeiro, das Águias de Alvelos, fechou a tríade do pódio masculino desta distância, com um tempo de 5h46m36s. Alejandro Rio, dos Amigos da Montanha (5h56m54s), e João Ferreira, do Coimbra Trail Running (5h59m21s), completaram o top-5-

Nas mulheres, Fernanda Verde, também da EDV-Viana Trail, conquistou o lugar mais alto do pódio com 7h03m40s, a 11 minutos da sua colega de equipa Susana Simões, que conquistou o segundo lugar dos femininos em 7h14m26s.  A atleta da Guimarunning Ângela Costa chegou em terceiro lugar com 7h32m52s, sendo o top 5 completo por Goreti Silva da Desnível Positivo (7h45m50s) e Susana Rodrigues do Clube de Atletismo de Fafe (7h51m27s).

 

Quatro distâncias diferentes e uma caminhada solidária

O evento contou com quatro provas desportivas de 15, 23, 33 e 48 quilómetros e uma caminhada solidária de 7 quilómetros, cuja receita reverteu na íntegra para os Bombeiros de Ponte da Barca.

Na prova SkyRace de 33 quilómetros, Nuno Fernandes, do Clube Atletismo Fafe, arrebatou o primeiro lugar, em 3h46m19s. David Gouveia e Francisco Carvalho, ambos da equipa CMMouronho – Escaravelhos, terminaram a prova em simultâneo, com um tempo de 3h48m08s, ocupando os restantes lugares do pódio. Nas mulheres, Liliana Gomes, da Dr. Merino/4moove, foi a primeira a cortar a linha de chegada ao cabo de 5h21m19s, com uma vantagem de quase 20 minutos em relação à segunda classificada, a atleta do Olímpico Vianense Trail, Ana Sereno, que terminou o percurso em 5h41m. O pódio ficou completo com a atleta individual Sofia Guerra, com 5h43m.

Na prova de 23 quilómetros, os três lugares do pódio masculino foram arrecadados por atletas da equipa Dr. Merino/4moove. Paulo Conde foi o primeiro, com um tempo de 2h13m54s, com uma vantagem de quase cinco minutos em relação ao segundo classificado, o seu colega de equipa António Rodrigues. Sérgio Duarte foi o terceiro membro da equipa a atravessar a meta, com um tempo de 2h19m07s. Nas mulheres, Rita Loureiro foi a mais rápida meta, com um tempo de 2h47m20s, e conquistou o lugar mais alto do pódio feminino com uma vantagem de 1m43s em relação à segunda classificada, a atleta individual Elisabete Alves (2h49m03s). Paula Lage, também da Dr. Merino/4moove, fechou o pódio das mulheres.

Na prova mais curta, a Mini Sky Race, de 15 quilómetros, o pódio começou a ser composto à 1h23m16s de corrida, quando o primeiro atleta cortou a meta. Abílio Ribeiro sagrou-se vencedor desta distância, seguido por José Miranda, que concluiu o percurso em 1h23m37s, e por Bruno Santos, da Associação Desportiva de Amarante, que terminou a prova em 1h23m45s. Paula Costa, da CAAV/TRAIL, foi a primeira mulher a cortar a linha de chegada, em 1h47m11s, seguida de Vera Barbosa, da equipa Nova Linha Trail Runners, que terminou a prova em 1h51m37s. Marta Veloso, da Trogloditas Runners, fechou o pódio feminino.

No final, Augusto Marinho, presidente do concelho de Ponte da Barca, enalteceu os principais factores para o sucesso deste primeiro evento em parceria com a Carlos Sá Nature Events: o território, a beleza impar desta serra com trilhos muito adequados para a prática desta modalidade crescente, aliada à experiência e credibilidade do ultra maratonista Carlos Sá na organização de eventos de natureza, que são hoje um factor de dinamização económica muito importante. O facto de os participantes virem acompanhados pelas famílias e alojarem-se na região (esgotando todas as unidades locais), significa um retorno imediato, para além da visibilidade que dá à região.

De realçar que todos os atletas premiados nos pódios de escalões tiveram como prémio um vaso decorativo com um Carvalho, cujo objetivo era incentivar à reflorestação das florestas portuguesas, diminuindo assim a pegada ecológica na sua deslocação para este evento.

 

Atletas satisfeitos

“Como não Amar[ela]?” era a pergunta que marcava as redes sociais da prova nas semanas que antecederam o evento.

A resposta chegou domingo, dia de Portugal e das Comunidades Portuguesas, com a partida para o desafio. Atletas vindo de todos os cantos de Portugal, mas também do estrangeiro, chegaram rendidos à meta, constatando que todos os adjetivos com que Carlos Sá, ultramaratonista e diretor de prova, anunciava o evento não eram em vão.

“No final estava extasiado e demorei algum tempo a descer à terra. Foi perfeito. Não me ocorre outra palavra. Tudo nesta prova foi perfeito. O percurso 99% em trilho (e que trilho), boa subida, boa descida, marcações impecáveis, 4 abastecimentos super completos, simpatia de toda a gente, ambiente incrível, técnico, duro, com partes para andar depressa, rios para atravessar... até o clima ajudou!” escreveu Filipe Torres, no seu blog Quarenta e Dois, num relato minucioso sobre os seus 35 quilómetros.

Classificações em detalhe aqui

 

redacao@fleed.pt

 

Numa autêntica manhã de inverno em pleno Junho, cerca de mil participantes partiram da aldeia de Entre Ambos-os-Rios à conquista da Serra Amarela, em pleno coração do Parque Nacional Peneda-Gerês.

Na prova rainha, a SkyMarathon de 48 quilómetros que integrou a Taça de Portugal SKY da Federação de Campismo e Montanhismo de Portugal, os atletas da EDV-Viana Trail foram os mais fortes. Jérôme Rodrigues completou o percurso em 5h12m16s e conquistou o primeiro lugar, com vantagem de apenas um segundo sobre o segundo classificado, o seu colega de equipa Ricardo Silva. Bruno Ribeiro, das Águias de Alvelos, fechou a tríade do pódio masculino desta distância, com um tempo de 5h46m36s. Alejandro Rio, dos Amigos da Montanha (5h56m54s), e João Ferreira, do Coimbra Trail Running (5h59m21s), completaram o top-5-

Nas mulheres, Fernanda Verde, também da EDV-Viana Trail, conquistou o lugar mais alto do pódio com 7h03m40s, a 11 minutos da sua colega de equipa Susana Simões, que conquistou o segundo lugar dos femininos em 7h14m26s.  A atleta da Guimarunning Ângela Costa chegou em terceiro lugar com 7h32m52s, sendo o top 5 completo por Goreti Silva da Desnível Positivo (7h45m50s) e Susana Rodrigues do Clube de Atletismo de Fafe (7h51m27s).

 

Quatro distâncias diferentes e uma caminhada solidária

O evento contou com quatro provas desportivas de 15, 23, 33 e 48 quilómetros e uma caminhada solidária de 7 quilómetros, cuja receita reverteu na íntegra para os Bombeiros de Ponte da Barca.

Na prova SkyRace de 33 quilómetros, Nuno Fernandes, do Clube Atletismo Fafe, arrebatou o primeiro lugar, em 3h46m19s. David Gouveia e Francisco Carvalho, ambos da equipa CMMouronho – Escaravelhos, terminaram a prova em simultâneo, com um tempo de 3h48m08s, ocupando os restantes lugares do pódio. Nas mulheres, Liliana Gomes, da Dr. Merino/4moove, foi a primeira a cortar a linha de chegada ao cabo de 5h21m19s, com uma vantagem de quase 20 minutos em relação à segunda classificada, a atleta do Olímpico Vianense Trail, Ana Sereno, que terminou o percurso em 5h41m. O pódio ficou completo com a atleta individual Sofia Guerra, com 5h43m.

Na prova de 23 quilómetros, os três lugares do pódio masculino foram arrecadados por atletas da equipa Dr. Merino/4moove. Paulo Conde foi o primeiro, com um tempo de 2h13m54s, com uma vantagem de quase cinco minutos em relação ao segundo classificado, o seu colega de equipa António Rodrigues. Sérgio Duarte foi o terceiro membro da equipa a atravessar a meta, com um tempo de 2h19m07s. Nas mulheres, Rita Loureiro foi a mais rápida meta, com um tempo de 2h47m20s, e conquistou o lugar mais alto do pódio feminino com uma vantagem de 1m43s em relação à segunda classificada, a atleta individual Elisabete Alves (2h49m03s). Paula Lage, também da Dr. Merino/4moove, fechou o pódio das mulheres.

Na prova mais curta, a Mini Sky Race, de 15 quilómetros, o pódio começou a ser composto à 1h23m16s de corrida, quando o primeiro atleta cortou a meta. Abílio Ribeiro sagrou-se vencedor desta distância, seguido por José Miranda, que concluiu o percurso em 1h23m37s, e por Bruno Santos, da Associação Desportiva de Amarante, que terminou a prova em 1h23m45s. Paula Costa, da CAAV/TRAIL, foi a primeira mulher a cortar a linha de chegada, em 1h47m11s, seguida de Vera Barbosa, da equipa Nova Linha Trail Runners, que terminou a prova em 1h51m37s. Marta Veloso, da Trogloditas Runners, fechou o pódio feminino.

No final, Augusto Marinho, presidente do concelho de Ponte da Barca, enalteceu os principais factores para o sucesso deste primeiro evento em parceria com a Carlos Sá Nature Events: o território, a beleza impar desta serra com trilhos muito adequados para a prática desta modalidade crescente, aliada à experiência e credibilidade do ultra maratonista Carlos Sá na organização de eventos de natureza, que são hoje um factor de dinamização económica muito importante. O facto de os participantes virem acompanhados pelas famílias e alojarem-se na região (esgotando todas as unidades locais), significa um retorno imediato, para além da visibilidade que dá à região.

De realçar que todos os atletas premiados nos pódios de escalões tiveram como prémio um vaso decorativo com um Carvalho, cujo objetivo era incentivar à reflorestação das florestas portuguesas, diminuindo assim a pegada ecológica na sua deslocação para este evento.

 

Atletas satisfeitos

“Como não Amar[ela]?” era a pergunta que marcava as redes sociais da prova nas semanas que antecederam o evento.

A resposta chegou domingo, dia de Portugal e das Comunidades Portuguesas, com a partida para o desafio. Atletas vindo de todos os cantos de Portugal, mas também do estrangeiro, chegaram rendidos à meta, constatando que todos os adjetivos com que Carlos Sá, ultramaratonista e diretor de prova, anunciava o evento não eram em vão.

“No final estava extasiado e demorei algum tempo a descer à terra. Foi perfeito. Não me ocorre outra palavra. Tudo nesta prova foi perfeito. O percurso 99% em trilho (e que trilho), boa subida, boa descida, marcações impecáveis, 4 abastecimentos super completos, simpatia de toda a gente, ambiente incrível, técnico, duro, com partes para andar depressa, rios para atravessar... até o clima ajudou!” escreveu Filipe Torres, no seu blog Quarenta e Dois, num relato minucioso sobre os seus 35 quilómetros.

Classificações em detalhe aqui

 

redacao@fleed.pt

Mais sobre o tema